Críticas e Curadoria

Aristeu Araújo atua como crítico de cinema desde 2001, quando em Natal (RN) começou a publicar textos sobre filmes do grande circuito no hoje extinto Cabugi.com. Depois publicou em diversos meios diferentes, passando pelo jornal Tribuna do Norte, o blog Quebra de Eixo e sites especializados.

A sua grande produção crítica, entretanto, se dá na Revista Moviola, que fundou com amigos em 2007, trabalhando como editor de conteúdo até 2013, com o suporte de diversos colaboradores do Brasil e de outros países.

Nos anos de 2009 e 2010 publicou artigos em dois livros com compilações de textos sobre cinema. Foram eles: Cenas Brasileiras: o cinema em perspectiva multidisciplinar (1928/1988), organizado por Marcos Silva e Bené Chaves (ISBN 978-85-7273-498-1); 80 Cult Movies Essenciais, organizado por Nelson Marques, Giangranco Marchi e Rodrigo Hammer (ISBN 978-85-7273-598-8).

Colabora esporadicamente como crítico em outros sites, tal como A Escotilhae o rock.rec.br.

Curadoria

Sua atuação como curador se inicia em 2011 com o projeto Novos Repertórios, realizado no SESC Paço da Liberdade, em Curitiba. O evento levou à cidade diversos realizadores nacionais para debates precedidos da exibição de seus filmes. 

À frente da programação de cinema do centro cultural (2012 a 2014), Aristeu Araújo realizou outras edições do Novos Repertórios, assim como dezenas de outras mostras, atuando como produtor, curador e mediador de debates.

No ano de 2011 também participou da mostra Wim Wenders: Imagens que obedecem, sendo organizador do catálogo impresso, palestrante e mediador de um debate realizados nos centros culturais da Caixa Cultural no Rio de Janeiro e em Curitiba.

Entre 2012 e 2019 foi curador de cinco mostras cinematográficas junto à Caixa Cultural, foram elas: Ser Tão Pop – O Novo Cinema de Sertão (realizada no Rio de Janeiro e no Ceará), Autorretratos – Documentários Autobiográficos (realizada no Recife e no Rio de Janeiro) e, ainda, Lembrando Joaquim Pinto e Nuno Leonel (realizado no Rio de Janeiro).

Nos anos 2016 e 2017 foi curador da mostra Clássicos do Festival de Cinema da Bienal de Curitiba.

Também em 2019 fez curadoria da Mostra de Filmes Étnicos do Festival Folclórico de Etnias do Paraná.